21.2.06

Hino à Amizade

As amigas servem para ajudar!
Maria é nossa mãe e quer que sejamos amigas,
Irmãs para sempre!
Zangaste-te!! Anda falar comigo. É para isso que servem os amigos.
Amar faz parte da amizade!
De hoje em diante, podes contar comigo
E preciso ter amigos para viver.


Deus criou-nos para sermos amigos,
A falar fazem-se novos amigos.
Viver sem amigos é impossível!


Idosos, jovens, crianças, bebés ou deficientes devem ser amadas.
De hoje e para sempre, tenta ser amigo.
A amizade faz parte de nós!


Carolina - 5º A

História de São Valentim

Diz-se que o imperador Cláudio pretendia reunir um grande exército para expandir o império romano.
Para isso, queria que os homens se alistassem como voluntários, mas a verdade é que eles estavam fartos de guerras e tinham de pensar nas famílias que deixavam para trás...
Se eles morressem em combate, quem é que as sustentaria?

Cláudio ficou furioso e considerou isto uma traição. Então teve uma ideia: se os homens não fossem casados, nada os impediria de ir para a guerra. Assim, decidiu que não seriam consentidos mais casamentos.

Os jovens acharam que essa era uma lei injusta e cruel. Por seu turno, o sacerdote Valentim, que discordava completamente da lei de Cláudio, decidiu realizar casamentos às escondidas. A cerimónia era um acto perigoso, pois enquanto os noivos se casavam numa sala mal iluminada, tinham que ficar à escuta para tentar perceber se haveria soldados por perto.

Uma noite, durante um desses casamentos secretos, ouviram-se passos. O par que no momento estava a casar conseguiu escapar, mas o sacerdote Valentim foi capturado. Foi para a prisão à espera que chegasse o dia da sua execução.

Durante o seu cativeiro, jovens passavam pelas janelas da sua prisão e atiravam flores e mensagens onde diziam acreditar também no poder do amor.

Entre os jovens que o admiravam, encontrava-se a filha do seu carcereiro. O pai dela consentiu que ela o visitasse na sua cela e aí ficavam horas e horas a conversar. No dia da sua execução, Valentim deixou uma mensagem à sua amiga (por quem dizem que se apaixonou), agradecendo a sua amizade e lealdade.

Ao que parece, essa mensagem foi o início do costume de trocar mensagens de amor no dia de S. Valentim, celebrado no dia da sua morte, a 14 de Fevereiro do ano de 269.
retirado de Júnior.TE

Halloween

No dia 31 de Outubro a nossa escola encheu-se de "bruxinhas" e de abóboras muito imaginativas.
Algumas salas de aula ficaram enfeitadas com vários elementos alusivos a esta data (fantasmas, bruxas, aranhas, morcegos ...).
Alguns cartazes espalhados pela escola explicavam porque se comemora este dia, as suas tradições e mistérios...
De seguida realizou-se o desfile de máscaras e elegeram-se as abóboras mais criativas.

No final do concurso realizou-se o lanche mágico partilhado por toda a escola e assistiu-se a um filme.
Foi muito divertido! E sobretudo foi gratificante ver a participação e empenho dos alunos!
Estão de parabéns todos os organizadores e participantes.

Fomos à Pré- história

O 7º ano tem estudado na disciplina de História o período da Pré- história. A Pré-história divide-se em sub períodos. Destes, nós estudamos o período Paleolítico (idade da pedra lascada) e do Neolítico (idade da pedra polida). Aprendemos o processo de hominização (que os do 8° ano já sabem e os 5° e 6° irão aprender) sabendo que este é um processo lento e gradual de evolução física e intelectual do Homem. Enquanto nas aulas de História íamos aprendendo como se processou a evolução humana, as novas invenções e descobertas, o modo de vida quotidiano, entre outras coisas, na disciplina de Educação Tecnológica começamos a fazer uma maqueta para retratar a vida quotidiana do período Paleolítico e Neolítico. Fizemos grupos e começamos o trabalho. Acabado este projecto, realizamos uma exposição com as nossas maquetas, para todas as turmas verem. A exposição realizou-se no dia 18 de Outubro.
Por: Virgínia Cellis, 7º A

Centro Juvenil

Na origem da história salesiana está o Oratório de Valdocco (Itália). Dom Bosco sonhou-o como “casa que acolhe, paróquia que evangeliza, escola que encaminha para a vida, e pátio onde os amigos se encontram e vivem com alegria”. O oratório, a que damos hoje o nome de Centro Juvenil, era animado por D. Bosco e por outros sacerdotes, leigos adultos, jovens e algumas mulheres, entre elas a Mãe Margarida.

O nosso Centro Juvenil quer ser também um seguimento do sonho de Dom Bosco, na formação humana, cristã e salesiana que oferece em tempo livre e no acolhimento aos nossos antigos alunos, aos actuais, e a todos os pré-adolescentes, adolescentes e jovens que são pouco acomodados ao vazio de muitos fins-de-semana.

O que propomos?

- Ser uma alternativa educativa para ocupar o tempo livre;

- Prevenir situações de risco, oferecendo um ambiente saudável e alegre, tão importante nestas idades;

- Aproximar os adolescentes e jovens da realidade do seu contexto sociocultural;

- Potenciar a relação e o trabalho conjunto com outras associações do Movimento Juvenil Salesiano e com instituições do município que trabalhem no campo da juventude;

- Oferecer ao jovem crente um tempo para viver e celebrar a sua fé.


As nossas Actividades:

- Atelliers : Bricolage (colares, pulseiras e outros adereços), pachtwork, informática, artes criativas em vidro, teatro e dança.

- Desporto : futebol, voleibol , basket e badmington

- Saídas / MJS : acampamento, encontros de pré, adolescentes e jovens, flash Bosco, etc.
Dinâmicas de grupo: jogos lúdico-desportivos que formam a uma convivência mais harmoniosa e alegre.

- “Rasgos de solidariedade” : promoção de actividades (teatro, cinema, convívios) abertas às crianças, adolescentes e jovens mais desfavorecidas da nossa terra.


O Centro Juvenil decorre aos sábados à tarde:

Início às 15.00 – Acolhimento e dinâmicas de grupo na sala do Centro e no pátio

15.20.- A “Boa tarde” formativa : tema, diálogo, pequena oração

15.40.- 16.40 - Atelliers

16.40-17.00- Jogos lúdico-desportivos.

Há sempre as imprescindíveis festas Natal, D. Bosco e Mª Auxiliadora, o Carnaval, o dia do Movimento Juvenil Salesiano em Fátima, enfim, cada trimestre tem a sua particularidade.

Apareçam!

Vestir as cores do Arco íris

Vestir as cores do Arco íris... é o tema formativo que envolve a nossa Escola este ano.

É mais do que um tema, é um desafio dinâmico:
Um desafio a Vestir as cores: Assumir a própria identidade, as qualidades e as capacidades que temos como pessoas e aceitar, respeitar e valorizar os outros na sua diferença: a família, os colegas, os amigos, os professores, os colaboradores.

E um desafio a Vestir as cores do Arco íris: Descobrir que crescemos juntos, na reciprocidade, na alegria, na esperança e no amor, e que juntos formamos a família humana que hoje construímos para o futuro.
Avançamos para esta ideia pelo grande horizonte que todos sonhamos para as crianças e adolescentes que estão connosco:
Formar a uma cidadania intercultural, que equivale, no contexto actual, a falar de educação para os valores. Reconhecer a interculturalidade como riqueza e como possibilidade de crescer e valorizar a relação positiva com os outros, favorecendo atitudes de escuta, respeito, diálogo e sinceridade.
Sensibilizar a uma consciência crítica face à cultura do consumismo, destacando o facto de que as suas maiores consequências são a quebra dos vínculos de cidadania e de solidariedade e a propagação da desconfiança e da indiferença.
Valorizar a Família como princípio e célula fundamental da sociedade, pois que “a vida, o pão, a liberdade e a paz são valores que se aprendem e experimentam na família” (João Paulo II). É ter atenção a alguns elementos que também na família, têm toda a razão de serem bem conduzidos, como a educação da afectividade e da sexualidade, num quadro de valores humano-cristãos.
Descobrir e aprofundar a vida como vocação, que contribui na construção de uma cidade nova, vestida de muitas cores, onde mora a justiça, a paz, a verdade, a liberdade e o amor
Ao longo do ano lectivo, um leque de cores e temas vão pincelar e dar vida à mente, ao coração e à fé de cada um:
A cor da amizade, em Setembro e Outubro; a cor da esperança em Novembro e Dezembro; a cor da alegria em Janeiro e Fevereiro; a cor do Amor em Março; a cor da Primavera em Abril e Maio e, por fim, vestir as cores da vida.

E a obra de arte mais bonita é a circularidade das cores entre a Escola e as Famílias, pois é esta complementaridade que pode lançar a criança ou o adolescente para uma relação aberta que potencia o crescimento contínuo de que necessita.

O convite está feito: basta pegar num pincel e … mãos à obra !

Flash JJ

Existe uma nova forma de comunicar na nossa escola! A edição on-line do Jornal Juvenil, o Flash JJ! É um espaço de reflexão sobre os conteúdos estudados! Visita-nos e flash muito ;)!

© 2005 Externato Maria Auxiliadora | Av. S. João Bosco, 365 | 4900 - 896 Areosa – Viana do Castelo