21.2.06

Vestir as cores do Arco íris

Vestir as cores do Arco íris... é o tema formativo que envolve a nossa Escola este ano.

É mais do que um tema, é um desafio dinâmico:
Um desafio a Vestir as cores: Assumir a própria identidade, as qualidades e as capacidades que temos como pessoas e aceitar, respeitar e valorizar os outros na sua diferença: a família, os colegas, os amigos, os professores, os colaboradores.

E um desafio a Vestir as cores do Arco íris: Descobrir que crescemos juntos, na reciprocidade, na alegria, na esperança e no amor, e que juntos formamos a família humana que hoje construímos para o futuro.
Avançamos para esta ideia pelo grande horizonte que todos sonhamos para as crianças e adolescentes que estão connosco:
Formar a uma cidadania intercultural, que equivale, no contexto actual, a falar de educação para os valores. Reconhecer a interculturalidade como riqueza e como possibilidade de crescer e valorizar a relação positiva com os outros, favorecendo atitudes de escuta, respeito, diálogo e sinceridade.
Sensibilizar a uma consciência crítica face à cultura do consumismo, destacando o facto de que as suas maiores consequências são a quebra dos vínculos de cidadania e de solidariedade e a propagação da desconfiança e da indiferença.
Valorizar a Família como princípio e célula fundamental da sociedade, pois que “a vida, o pão, a liberdade e a paz são valores que se aprendem e experimentam na família” (João Paulo II). É ter atenção a alguns elementos que também na família, têm toda a razão de serem bem conduzidos, como a educação da afectividade e da sexualidade, num quadro de valores humano-cristãos.
Descobrir e aprofundar a vida como vocação, que contribui na construção de uma cidade nova, vestida de muitas cores, onde mora a justiça, a paz, a verdade, a liberdade e o amor
Ao longo do ano lectivo, um leque de cores e temas vão pincelar e dar vida à mente, ao coração e à fé de cada um:
A cor da amizade, em Setembro e Outubro; a cor da esperança em Novembro e Dezembro; a cor da alegria em Janeiro e Fevereiro; a cor do Amor em Março; a cor da Primavera em Abril e Maio e, por fim, vestir as cores da vida.

E a obra de arte mais bonita é a circularidade das cores entre a Escola e as Famílias, pois é esta complementaridade que pode lançar a criança ou o adolescente para uma relação aberta que potencia o crescimento contínuo de que necessita.

O convite está feito: basta pegar num pincel e … mãos à obra !

1 Comments:

At 1.4.06, Anonymous Clara 5.ºB disse...

Eu concordo com todo o que diz aqui.

 

Enviar um comentário

<< Home

© 2005 Externato Maria Auxiliadora | Av. S. João Bosco, 365 | 4900 - 896 Areosa – Viana do Castelo